O edifício no presente

041.jpg

Entre os aguaceiros e os períodos de sol, lá consegui tirar esta foto do que resta do edifício sede.

Desde que encerrou definitivamente em Julho de 2003, estas paredes lá vão dando sombra aqueles que, depois do almoço, se juntam no banquinho do passeio a fazer contas à vida, recordar os velhos tempos e dizer adeus a quem passa; e as andorinhas lá vão insistindo a fazer os ninhos no beiral, indiferentes ao que se passa lá em baixo. Curioso é que se outrora esta fábrica contribuía com os desperdícios de barro para a construção dos ninhos, quatro anos volvidos e sem produção fabril, as mesmas aves ou descendentes delas ajudam a manter viva a memória com o mesmo barro bem colado lá em cima.

Anúncios

0 Responses to “O edifício no presente”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




O meu tributo

Esta é uma homenagem a uma fábrica que foi um ícone da faiança nacional, infelizmente já encerrada. A qualidade dos trabalhos produzidos e dos artistas da sua história, para além do impacte socio-económico que produziu na Vestiaria (Alcobaça), justifica este tributo. Deixo o convite a todos os que possuam peças para que as fotografem e enviem para “joao.santos.mail@gmail.com”. Será também uma honra contar com as memórias de funcionários e colaboradores que ajudaram a construir a Vestal. João Santos

Categorias


%d bloggers like this: