Guarda jóias

É reconfortante ir percebendo que existem muitos anónimos que vão guardando peças de cerâmica, por gosto pessoal, por alguma motivação comercial, na esperança de que sendo uma peça feita e pontada à mão – arte cada vez mais rara – venha a valer alguma soma de dinheiro num futuro próximo, e até quem guarde como recordação de familiares próximos.
É o caso deste guarda jóias do Nuno Gomes, ainda com a designação de Vistal.
Pessoalmente fico muito satisfeito em saber que depois de tantos anos, estão guardados por aí pedaços do trabalho e saber que um dia existiu nesta pequena aldeia do concelho de Alcobaça, a Vestiaria.
Obrigado Nuno pela partilha.
p1060783

p1060785

Anúncios

0 Responses to “Guarda jóias”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




O meu tributo

Esta é uma homenagem a uma fábrica que foi um ícone da faiança nacional, infelizmente já encerrada. A qualidade dos trabalhos produzidos e dos artistas da sua história, para além do impacte socio-económico que produziu na Vestiaria (Alcobaça), justifica este tributo. Deixo o convite a todos os que possuam peças para que as fotografem e enviem para “joao.santos.mail@gmail.com”. Será também uma honra contar com as memórias de funcionários e colaboradores que ajudaram a construir a Vestal. João Santos

Categorias


%d bloggers like this: